REPRESENTANTES DAS AGÊNCIAS BANCÁRIAS DE PINHEIRO PARTICIPARAM DA SESSÃO DESTA QUARTA (10) DA CÂMARA DE VEREADORES DE PINHEIRO.

Nos últimos dias uma série de denúncias envolvendo a qualidade do atendimento do Banco do Brasil vem impondo severas críticas a instituição bancaria da cidade. Tal situação se intensificou no início deste mês de maio, levando a discussão até a Câmara de Vereadores de Pinheiro.

Vereador Capadinho (PMDB) autor do requerimento verbal que trouxe os gerente até a Câmara

Na semana passada o Vereador Antônio Marcos Guterres (PMDB) conhecido popularmente por Capadinho, usou da tribuna para denunciar essa problemática, e para tanto, fez um requerimento verbal que foi aprovado de imediato por todos os edis presentes, convocando os gerentes das agências bancárias sediadas na cidade para prestar os devidos esclarecimentos sobre esse tema.

Fruto desse requerimento, representantes dos Bancos Nordeste, Bradesco, Caixa e Brasil, participaram da Sessão da manhã desta quarta-feira (10) para discorrer sobre a qualidade do atendimento ofertado nas agências da cidade.

O Presidente da Casa, Elizeu de Tantan (PP) conduziu a Assembleia e convocou inicialmente o Vereador e autor do requerimento, Capadinho, para usar a tribuna e explicitar suas considerações e queixas acerca da situação. O parlamentar iniciou questionando a falta de dinheiro nos caixas durante a semana, segundo o edil mesmo durante o expediente bancário é possível presenciar caixas eletrônicos sem dinheiro para o cliente fazer suas transações, falou ainda que nos fins de semana esse problema é intensificado por falta de funcionários do banco na agência. Capadinho se declarou conhecedor de normativas que regem o funcionamento das agências e que estas normas estabelecem, entre outras medidas, limites de valores a serem colocados nos terminais eletrônicos por questões de segurança. O vereador concluiu sua fala inicial agradecendo a presença de todos e convidando-os para buscarem soluções para esse problema de falta de dinheiro dos caixas eletrônicos.

Sr. Moises Campelo representante do Banco Bradesco

Em seguida o Sr. Moises Campelo falou em nome do Banco Bradesco e afirmou existir um departamento em sua agência que lida diretamente com a reposição dos valores nos caixas eletrônicos, e concluiu afirmando não ser conhecedor de denúncias que aleguem a falta de dinheiro nos terminais da agência do Bradesco.

Sr. Raimundo Junior falou em nome do Banco do Nordeste

O Sr. Raimundo Júnior se fez presente representando o Banco do Nordeste, iniciou sua fala agradecendo a oportunidade e elogiou a iniciativa do legislativo Pinheirense em discutir para resolver situações que prejudicam o cidadão enquanto cliente e detentores de direitos, afirmou não ter conhecimento de denúncias envolvendo o assunto tema da discussão, mas confirmou que de fato, os caixas eletrônicos das agências do Bando do Nordeste não abrem aos finais de semana, e reforçou que há um compartilhamento com o Banco do Brasil possibilitando que clientes das duas agências podem efetuar transações de saques e transferências entre elas.

O Sr. Eduardo Ribeiro usou a tribuna para falar sobre o atendimento na Caixa Econômica Federal

Em continuidade, o Sr. Eduardo Ribeiro usou a tribuna para falar a respeito do atendimento da Caixa Econômica Federal entre outros assuntos. Eduardo comentou que apesar da responsabilidade da agência recair sob a gerência, nem sempre os assuntos são passivos de resoluções da administração local, muitas práticas são normativas do próprio Banco Central ou de entidades que trabalham pela promoção da segurança do funcionário e do cliente. O Gerente da agência lembrou ainda que a Caixa vem ao longo dos anos buscando formas para melhorar o seu atendimento, e apesar que ainda há muitas coisas por fazer, muitos avanços já foram conquistados, citou como exemplo as quilométricas filas que se tornaram uma péssima associação à imagem do banco. Com relação à falta de dinheiro nos caixa eletrônicos ele declarou que atualmente não há registro de problemas com essa questão, pois hoje a agência da Caixa de Pinheiro conta com 4 casas lotéricas e outros 3 correspondentes bancários chamados de “Caixa Aqui” além da própria agência. Concluiu sua fala convidando os vereadores a conhecerem as instalações da agência.

O Fábio Costa Nunes do Banco do Brasil

O Sr. Fábio Costa Nunes falou em nome do Banco do Brasil e após a fala dos outros representantes, se observou que o foco da denúncia é a agência do Bando do Brasil, prontamente buscou esclarecer alguns pontos no âmbito geográfico e cultural. Ele acredita que por Pinheiro ser polo de uma região, e absorver para si demandas nas mais variadas segmentações, é natural que o fluxo bancário sofra esse procura demasiada ocasionando transtornos tantos para os clientes quanto para os funcionários da casa, em seguida o Sr. Fábio buscou referências culturais para explicar algumas situações que ele considera como atitudes que prejudicam o atendimento, sob essa referência ele falou das práticas bancárias que muitos utilizam, pois existe uma cultura muito forte do cliente sacar o seu dinheiro na totalidade para efetuar transações, esse procedimento poderia ser facilmente substituído por compras no débito ou crédito. Depositar ao invés de transferir é outra situação frequente nas agências. Essas duas práticas aumentam e muito as filas. Citou também o aumento do número de contratados pelas prefeituras da região e estas, conveniadas com o banco, enviam as demandas de aberturas de conta para a agência acarretando ainda mais uma quantidade enorme de pessoas.

Com relação aos terminais eletrônicos o Sr. Fábio reforçou, assim como os outros representantes de bancos, que trata-se de uma questão de segurança, uma vez que tudo que é de banco, cria-se a ilusão que tem dinheiro. Colocar um autoatendimento em uma determinada localidade não é simplesmente uma questão de logística ou de boa vontade, “muitas parcerias já foram firmadas para colocarmos terminais em comércios, postos de gasolinas e outros estabelecimentos, quando vamos efetivar a instalação o proprietário muda de ideia por achar que ter o caixa eletrônico vai chamar atenção de marginais” declarou o Sr. Fábio.

Fábio Costa Nunes concluiu sua fala afirmando que: “apesar de tudo, está melhorando, o banco tem procurando uma estrutura melhor, estamos buscando essa melhoria, para fazer com que os clientes, os nossos clientes, se sintam cada vez mais confortáveis, é lógico que está desconfortável, eu acabei de sair de lá e pra passar eu quase não consigo de tanta gente que tem lá, entendeu? (…) mas fico feliz pelo convite, viemos para tentar sanar um pouco as dúvidas, dar a nossa parcela de colaboração, como Banco do Brasil, para que de fato a população seja bem melhor atendida no que estamos deixando a desejar, no sentido que eu falei, não é omissão de funcionário, não é omissão da gerência, não é omissão (…) é um ponto eventual que vem acontecendo recentemente, mas que tem tudo para melhorar a partir de agora, ou melhor a partir do mês passado, nós temos tudo para melhorar esse fluxo. Fico feliz, novamente, e obrigado pelo convite e estamos a disposição tanto aqui como lá no Banco do Brasil para qualquer dúvida”.

Paulinho Enfermeiro – PMN

O Presidente Elizeu de Tantan fraqueou a palavra para os vereadores e Paulinho Enfermeiro (PMN) foi o primeiro a se pronunciar cobrando providências para essas pendências e levantando alguns questionamentos: “gostaria de saber a razão de termos poucos caixas disponíveis para saque, desses que temos na agência, temos alguns para saque e outros para depósitos, por qual razão esses não atendem com o saque? Sobre os finais de semana, feriados prolongados, carnaval, sempre se repete essa problemática, eu gostaria de saber por que não há o abastecimento dos caixas nessas datas e finais de semana?”

Logo após todos os questionamentos o Sr. Fábio Costa Nunes se manifestou respondendo a todos, no caso das indagações de Paulinho enfermeiro ele declarou o seguinte: “Sobre os caixas com disponibilidades para saques e depósitos é um problema com o próprio terminal, pois quem conhece sabe mais ou menos o tamanho físico desses terminais, e os que atendem com o depósito ficam sem espaço para colocar a local que fica o dinheiro que seria destinado para o saque, e temos uma resolução onde obriga as agências em manter um determinado número de terminais para depósito. Sobre os funcionário aos finais de semana para repor o dinheiro é meramente uma questão de segurança como já falei aqui”.

Lucas do Beiradão – PSDB

O vereador Lucas do Beiradão (PSDB) lembrou-se das péssimas condições impostas aos clientes da Caixa Econômica Federal, citou as enormes filas que montam em frente à agência percorrendo toda a extensão do quarteirão dobrando no sinal, o vereador falou: “aquelas pessoas ficam ali sem estrutura de banheiro, sem água, em pé no sol quente, é desumano senhores”. Sobre o Banco do Brasil o vereador recordou de episódios que ocorreram com ele quando, em uma oportunidade, precisou sacar dinheiro em sua conta e o seu cartão não entrou no leitor. O Parlamentar concluiu sua fala pedindo para o representante do Banco do Brasil que fosse colocado um caixa eletrônico na região do Beiradão.

Edinildo Rodrigues – PCdoB

Edinildo Rodrigues (PDdoB) reforçou a importância das melhorias no atendimento e recordou de um projeto de lei de sua autoria na legislatura passada, que discorria sobre a instalação de banheiros para os clientes dentro das agências bancárias, e no momento perguntou aos presentes a razão da inexistência de banheiros e água para os clientes, dado o tempo exorbitante que o cidadão passa dentro das agências. Ao final o Sr. Fábio respondeu a essa questão alegando o seguinte: “ter banheiros dentro das agências hoje é uma realidade, no entanto, no passado não era possível por questões de segurança, pois estudos apontam que os banheiros são frequentemente utilizados para preparativos de ações criminosas”.

Riba do Bom Viver – PDT

O Vereador Riba do Bom Viver agradeceu a vinda dos representantes bancários, aproveitou a oportunidade para também pedir um autoatendimento para o povoado Bom Viver e declarou que a falta de dinheiro acontece em todas as agências. Cobrou atitudes em curto prazo dessas situações e reforçou que os problemas não se restringem apenas as questões relacionadas à falta de dinheiro, mas também com relação as filas e finalizou sua fala sugerindo que seja implantado ou melhorado o atendimento nas cidades vizinhas.

O autor do requerimento que convidou os representantes dos Bancos até a Câmara, o vereador Capadinho, direcionou duas perguntas apenas, uma para o Banco do Nordeste e a outra para o Banco do Brasil: “Senhor gerente do Banco do Nordeste, porque os caixas eletrônicos não funcionam aos finais de semana e ao Bando do Brasil gostaria de saber o motivo de não ter sido instalado o Cache do Banco no bairro de Pacas?”.

Capadinho – PMDB

Em resposta ao Vereador Capadinho o Sr. Raimundo Junior, gerente do Banco do Nordeste, afirmou que de fato a agência não abre aos finais de semana, mas relembrou que outros bancos, como o Brasil, aceitam transações do Nordeste. E em resposta ao autoatendimento que seria instalado em Pacas o Sr. Fábio lembrou que isso se dá por questões de segurança, conforme já havia explicado.

Oziel Menezes – PSD

Já o vereador Oziel Menezes (PSD) questionou a ausência de representantes do Banco BASA e lembrou que é importante essa discussão acerca da falta de dinheiro, no entanto é necessária também uma análise sobre o atendimento interno, buscar formas de melhorar e otimizar o atendimento, segundo o vereador podemos ver constantemente situações que desfocam de um atendimento adequado de uma empresa.

Beto de Ribão – PSD

Beto de Ribão (PSD) analisou o caso da falta de dinheiro e declarou que se trata de um problema a nível de país. Em seguida o parlamentar apontou como solução o aumento do número de funcionários nas agências, em especial no Bando do Brasil, segundo o edil é necessário cobrar das instituições competentes a realização de concursos públicos para a efetivação de novos colaboradores.

Valter Soares – PV

O problema existe e todos nós já identificamos, mas, e a população, o que os clientes podem e devem fazer para melhorar essa problemática?” essa indagação foi feita pelo vereador Valter Soares (PV) que alegou que é importante uma política de valorização ao cliente, no entanto se faz igualmente necessário que os clientes façam sua parte, afirmou o parlamentar.

Rubemar Ribeiro – PMDB

Rubemar Ribeiro (PMDB) questionou a obrigatoriedade do uso da biometria, considerando o alto número de idosos com dificuldade de locomoção. Em resposta a essa indagação o Sr. Fábio Nunes afirmou que não há uma legislação sobre o caso da biometria, mas sim, resoluções normativas a fim de promover maior segurança aos clientes e as agências, o representante do Banco do Brasil lembrou ainda que existem métodos alternativos como procuração e em casos excepcionais a dispensa da biometria mediante robusta comprovação da inviabilidade do titular da conta.

Albininho – PCdoB

O parlamentar Albininho (PCdoB) lembrou aos presentes que a população da zona rural é a quem mais sofre nessas filas intermináveis, em virtude da dificuldade do transporte, muitos que vem sacar suas aposentadorias e enfrentam filas enormes, acabam desistindo para não perder o carro que faz linha para sua região que geralmente sai ao meio dia, por essas pessoas em especial, o edil reforçou que fosse feito melhorias no sentido de humanizar e acelerar o atendimento.

João Morais – PSB

Em Seguida o Vice-Presidente da casa legislativa o vereador João Morais (PSB) se declarou felicitado em virtude da presença dos 15 vereadores em um momento tão ímpar para a sociedade Pinheirense. O parlamentar fez uma referência ao seu tempo de universitário, quando um determinado professor fez um comentário alegando que chegaria um tempo em que as instituições iam precisar de poucos profissionais para executar as tarefas do dia a dia, João Morais fez essa analogia ao contrapor as constantes revoluções tecnológicas e pelo fato do Banco do Brasil que já funcionou em dois pavimentos e com centenas de funcionários, ano passado com 24 e hoje com apenas 18, segundo o vereador apesar dessas mudanças serem constantes, os problemas com o atendimento aumentam de igual forma. Lembrou também que o cliente deve ser tratado com prioridade, reforçando que o rito correto é: à agência se adequar ao cliente e não o contrário, tendo em vista que o cidadão é quem de fato quem movimenta e dá os lucros para toda e qualquer empresa.

Guto – PV

Augusto Vinícius (PV) falou em tribuna que todas as solicitações que já haviam sido feitas antes dele, contemplam suas indagações e apesar de ser funcionário do Banco do Brasil S/A não poderia afirmar que não existem os problemas levantados, no entanto reforçou que muitas atividades administrativas independem da gestão local e entre muitas, a politica de expansão de agência é bem mais complicada do que parece, envolve o alto investimento com equipamentos entre outros, no entanto o vereador finalizou se prontificando em apoiar a iniciativa que busque melhorias para o cidadão Pinheirense.

Alessandro Montenegro – PP

Em seguida usou a palavra o líder do governo na Câmara, Vereador Alessandro Montenegro (PP) que incentivou uma união das forças, oposição e situação, para cobrar e buscar, na esfera federal, ações concretas que visem resolver o problema da demanda na nossa região. Falou ainda dos pontos alternativos como o da prefeitura e do Posto Pericumã I que os mesmo sempre ficam dinheiro. “Nós que somos pessoas públicas, sofremos constantemente abordagens por parte de cidadãos para nos cobrar”. Disse o Vereador. Em seguida o vereador voltou a tratar da possibilidade da instalação de um caixa eletrônico no bairro de Pacas: “Em Pacas… é uma região grande que se tivéssemos o atendimento dos bancos do Brasil, Caixa, Nordeste e Bradesco teriam duas razões que seriam positivas – primeiro que iriamos desafogar os bancos aqui da sede e depois que iriamos movimentar a economia da região com o fortalecimento do comércio local, hoje nós temos 52 empresas, 600 funcionários, 2 mil aposentados e população de 12 mil habitantes (…) já um suporte bem desenvolvido com a visão empresarial e social e com certeza iria contribuir com o desenvolvimento da região”.

Sandro Lima – PCdoB

O Primeiro Secretário da mesa diretora, Sandro Lima (PCdoB) iniciou sua fala afirmando que até aquele dado momento já havia sido discutido muitas situações e problemas, no entanto, faltava um alinhamento mais especifico para encontrar as soluções que até então não havia sido apontada nenhuma. O vereador comentou também que: “o fato do Banco do Brasil já ter 200 anos de existência a nível de País, 100 no Maranhão e 50 anos instalado aqui na cidade de Pinheiro, já deveriam ter práticas administrativas para sanar problemas tão corriqueiros quantos esses que ora discutimos aqui em plenário. A meu ver o problema já foi identificado (…) o problema é a inclusão de outros municípios para vir buscar numerários (lê-se dinheiro) aqui na nossa cidade, Presidente Sarney, Pedro do Rosário, Peri-Mirim, Bequimão”. A sugestão do Vereador passa pelo amplo trabalho de fortalecimento das agências regionais para descentralizar de Pinheiro toda a demanda bancária desses municípios. Em seguida o vereador concluiu questionando a razão de não haver cédulas de 2 reais nos terminais do Banco do Brasil.

O Sr. Fábio Nunes, representante do Banco do Brasil, em resposta as questões levantadas, destacamos o trecho que compreende à pergunta do Vereador Sandro Lima – “de fato não utilizamos as cédulas de 2 reais nos terminais, isso se dá por se tratar de um perfil de cédula que sofre muito com a ação do manuseio, tornando-a velha rapidamente, e o dispositivo que controla a contagem do dinheiro no ato do saque travar quando há cédulas nessas condições, reforço que podemos sim colocar essas cédulas nos terminais, mas garanto que nesses haverá muitos problemas com relação a travamento”.

Em resposta aos anseios e situações levantadas sobre os problemas apresentados, ficou sinalizando que procedimentos que visam atender e solucionar essas questões serão aplicados. O Presidente Eliseu de Tantan reforçou que ainda este mês o Diretor Geral do Procon no Maranhão, Sr. Duarte Junior, fará parte em Sessão Ordinária e nessa ocasião será retomado a discussão acerca da qualidade do atendimentos nos Bancos da cidade de Pinheiro.  

Informativos